Câncer de Próstata

O que é câncer de próstata?

A próstata é uma glândula exócrina (produz substância para um sistema de condutos ou canais excretores) localizada no interior da pélvis e integra o sistema reprodutor masculino. está situada próxima ao reto e encostada na base da bexiga.

Em homens, no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum (o câncer de pele não-melanoma é o mais incidente) e a segunda maior causa de morte por câncer. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o aumento nas taxas de incidência no país pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos de diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação e pelo aumento na expectativa de vida.

Há alguns fatores de risco que aumentam as chances de desenvolver a doença, entre elas:

  • idade: a incidência começa a aumentar acima dos 50 anos, com aumento considerável acima dos 65 anos – por isso é frequentemente associado à terceira idade, já que três quartos dos casos confirmados são de homens nessa faixa etária
  • hereditariedade: casos de câncer de próstata entre familiares diretos, como pai e irmãos

Embora alguns desses tumores possam crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e até levando à morte, o mais comum à neoplasia maligna da próstata é o crescimento lento (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³). Por isso, se o paciente faz exames de rotina e o tumor maligno é diagnosticado logo no início, as chances de cura são significativas.

Os estágios são localizado (restrito à próstata), localmente avançado (em órgãos próximos à próstata) e avançado (em órgãos mais distantes). O Inca estima que, em 2018, serão 68.220 novos casos no Brasil.

 

Quais são os sintomas que o câncer de próstata provoca?

Geralmente, o câncer de próstata não causa sintomas na fase inicial. Mas os sinais que indicam a presença de um tumor maligno ou outro problema são:

  • Problemas urinários
    • Dificuldade para iniciar ou interromper o fluxo de urina
    • Necessidade frequente de urinar, principalmente à noite
    • Fluxo de urina fraco ou intermitente
    • Dor ou ardor durante a micção
  • Em alguns casos, dificuldade de ereção
  • Sangue na urina ou no sémen
  • Dor frequente na zona inferior das costas, nos quadris ou na região superior das coxas

Importante reforçar que, em grande parte dos casos, estes sintomas podem ser provocados por outras doenças ou tumores benignos. Portanto, ao perceber qualquer desses sinais, deve-se procurar um médico especialista o mais rápido, pois quanto mais cedo o câncer de próstata for diagnosticado, maiores são as chances de cura.

 

Como diagnosticar um câncer de próstata?

É no momento dos exames de rastreamento com o antígeno prostático específico (PSA) que a maioria dos cânceres de próstata é diagnosticada. Para que o resultado seja de fato preciso, o ideal é associar ao PSA o exame de toque retal (permite saber a consistência da próstata, seu tamanho e se existem lesões palpáveis na glândula) e, se notada alguma alteração, a biópsia da próstata. Isso porque a alteração nos níveis do antígeno prostático no sangue não indica, necessariamente, a presença de um tumor maligno. Outras doenças podem causar essa alteração, como uma prostatite (infecção ou inflamação) e hiperplasia benigna da próstata (alargamento da glândula).

A partir desses resultados, exames de imagem podem ajudar a fechar o diagnóstico – saber o quanto o câncer já avançou e está disseminado. Os exames mais comuns para isso são:

  • Cintilografia óssea: em muitos casos, é para os ossos o primeiro local que a doença se dissemina
  • Tomografia computadorizada: permite visualizar imagens transversais detalhadas de regiões do corpo
  • Ressonância magnética: por meio de ondas magnéticas, forma imagens detalhadas e permite detectar se o câncer se disseminou para a vesícula e bexiga, por exemplo

 

O que é estadiamento do câncer de próstata?

Ao fazer o estadiamento do câncer, a equipe médica consegue saber a localização do tumor, se a doença se disseminou, se atingiu órgãos e afetou suas funções. Conhecer o estágio da doença ajuda a definir qual terapia é a melhor, assim como permite um prognóstico mais eficiente.

No caso de câncer da próstata, o estadiamento baseia-se nos resultados da biópsia, incluindo:

  • Extensão do tumor primário
  • Se o tumor se disseminou para os linfonodos próximos
  • Se existe metástases para órgãos distantes
  • O nível do PSA
  • Pontuação de Gleason, com base na biópsia ou cirurgia da próstata.

 

São dois os tipos de estadiamento para o câncer de próstata:

  • Clínico – baseia-se nos resultados dos exames físico, laboratorial e de imagem, além da biópsia
  • Patológico – mais preciso, permite determinar o estágio patológico, baseando-se na cirurgia e análise do tecido retirado. Assim, depois da cirurgia, o estadiamento da doença pode mudar

 

Como tratar um câncer de próstata?

Todas as opções de tratamento precisam ser discutidas e avaliadas com a equipe médica, como:

  • Estadiamento da doença
  • Idade e condições do paciente
  • Chances de cura que cada tipo de terapia pode oferecer

Geralmente, as opções de tratamento são:

  • cirurgia radical da próstata (retira-se todo o órgão)
  • radioterapia
  • hormonioterapia
  • quimioterapia
  • cirurgia
  • criocirurgia
  • vacinas
  • terapia alvo

Como não apresenta sintomas em sua fase inicial, a visita regular (anual) ao urologista é a forma mais indicada de se detectar o câncer de próstata.

 

 


 

Leia mais:

Atividade física no tratamento do Câncer

O que acontece com o corpo durante o tratamento contra o câncer?

Leforte Rosa: Programa do Hospital Leforte incentiva combate e prevenção do câncer de mama