Câncer de colo de útero ou cervical

O que é câncer de colo de útero ou cervical?

O câncer do colo do útero ou cervical tem como causa a infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano – HPV. Na maioria dos casos, essa infecção não resulta em câncer, mas é comprovado que até 99% das mulheres que têm câncer de colo uterino foram antes infectadas por esse vírus. A transmissão do HPV se dá por contato direto com a pele infectada, sendo que o HPV genital é transmitido por meio de relação sexual. Os homens também podem desenvolver doenças associadas ao vírus e alguns tipos de HPV, como o 16 e o 18, que também causam câncer de pênis e na região anal.

Ao contrário do que se pode pensar, não se trata de apenas um tipo de vírus, mas de uma família de vários tipos – o HPV possui 100 subtipos diferentes identificados. As doenças mais comumente associadas a esse vírus são lesões de pele e mucosa, que normalmente mostram crescimento limitado e regridem espontaneamente após uma resposta imune. Os subtipos 6 e 11 são encontrados nas verrugas genitais, também chamadas cristas de galo. Já os subtipos 16 e 18 são considerados de alto risco e relacionados a tumores malignos, em especial ao câncer de colo de útero.

Uma das características desse vírus é que ele pode ficar instalado no corpo por muito tempo sem se manifestar, entrando em ação em determinadas situações, como na gravidez ou numa fase de estresse, quando a defesa do organismo fica abalada.

Na maior parte das vezes, a infecção pelo HPV não apresenta sintomas. A mulher tanto pode sentir uma leve coceira ou dor durante a relação sexual ou ter corrimento. O mais comum é não perceber qualquer alteração em seu corpo.
É o terceiro tumor mais frequente entre as mulheres, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte por câncer entre elas no Brasil. Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva), a estimativa de novos casos para 2016 é de 16.340. No Brasil, cerca de 8.000 mulheres morrem anualmente em consequência desse tipo de tumor.

Sintomas

É uma doença de desenvolvimento lento, sem sintomas em fase inicial, que evolui para quadros de sangramento vaginal intermitente ou após a relação sexual, além de secreção vaginal anormal e dor abdominal associada a queixas urinárias ou intestinais nos casos mais avançados.

Diagnóstico

Em alguns casos a infecção por HPV pode causar alterações celulares que poderão evoluir para o câncer. Tais alterações das células são descobertas facilmente no exame preventivo conhecido como Papanicolau. Se detectado precocemente o câncer de colo de útero tem altos índices de cura. Por isso é muito importante realizar o exame periodicamente.

E quem deve fazer o exame preventivo conhecido como Papanicolau?
Toda mulher que tem ou já teve vida sexual, com idade entre 25 e 64 anos. Para maior segurança do diagnóstico, os dois primeiros exames devem ser anuais. Se os resultados estiverem normais, sua repetição só será necessária após três anos ou conforme avaliação do médico.

img hpv câncer de colo de útero
IMG Exames img hpv câncer de colo de útero

Outros exames podem ser solicitados:

Colposcopia: exame feito com o uso do Colposcópio, aparelho que aumenta o poder de visão do médico, permitindo identificar as lesões.

Biópsia: é a retirada de um pequeno pedaço de tecido para análise.

Captura Híbrida: diagnostica a presença do vírus antes da paciente ter qualquer sintoma.

Tratamento

Ao constatar diagnóstico de câncer e antes de iniciar o tratamento, é necessário o estadiamento, que é a avaliação da extensão da doença, para saber qual será o tratamento mais adequado. O câncer pode ser tratado com cirurgia, radioterapia e quimioterapia, dependendo da situação em que se encontra.